Brasil

Presos começam a deixar presídios graças às saidinhas de fim de ano

Somente no estado de São Paulo serão quase 40 mil presos que devem usufruir do polêmico benefício e circular livremente por duas semanas.
Todos os anos, junto com as festas de final de ano, vêm a já famosa saidinha de Natal do encarcerados da Justiça. Nela milhares de detentos ganham o direito de passar cerca de duas semanas livres, em tese, para celebração com os familiares e ajudar no processo de ressocialização.
Em resposta à Coluna, a Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo informou que os dados precisos sobre o número de beneficiados só serão divulgados após o retorno "de todos os reeducandos" à cadeia, mas informações extra-oficiais dão conta de que quase 40 mil detentos terão direito ao benefício apenas no estado.
Em 2017, os presos começaram a sair no dia 20 de dezembro. Foram 33.324 beneficiados com taxa de retorno de 96% ao final do período, deixando 1.333 fugitivos da Justiça. Esta taxa de fuga e a sensação de insegurança causada pela própria soltura destas dezenas de milhares de condenados tornam o benefício bastante polêmico, e é comum que as redes sociais sejam inundadas por reclamações contrárias.
Vários candidatos chegaram a usar o fim da saidinha como bandeira de campanha. O governador eleito de São Paulo, João Doria, foi um deles. "Eu sou contra a saidinha. Aquele que cumpre a pena deve cumprir em prisão", disse Doria, que prometeu lutar pelo fim do benefício.
Portal R7

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.