Mundo

Após derrubar drone, Irã acusa EUA de agressão; petróleo dispara

Referência para as oscilações dos preços dos combustíveis no mundo inteiro, o valor do barril do petróleo disparou, nesta quinta-feira, mais de 6% após um novo incidente entre EUA e Irã, aumentando o temor de um conflito armado no Oriente Médio, onde estão os maiores exportadores do produto.
Um drone teria invadido o espaço aéreo do Irã, que o abateu com um míssil e acusou os EUA de espionar seu território. O presidente americano Donald Trump reagiu, comentando que o país dos aiatolás cometeu um "grande erro".
A troca de hostilidades entre os governos de Washington e Teerã se intensificou desde o dia 8 de maio do ano passado, quando Trump anunciou a volta das sanções contra a economia iraniana, após quebrar um acordo internacional fechado por seu sucessor, Barack Obama, em 2015.
Pelo acordo, o Irã se comprometia a não desenvolver arsenal nuclear enriquecendo urânio. Em troca, o país persa era autorizado a voltar a exportar petróleo, aliviando suas contas públicas. Ao sair do acordo, a Casa Branca passou a marginalizar o país inimigo do mercado de petróleo, obrigando o Ocidente a cortar elos comerciais com o Irã.
Nos últimos dois meses, o desentendimento se agravou com navios danificados no estreito de Ormuz, importante corredor do Golfo Pérsico de escoamento do petróleo consumido no Planeta.
Anteriores
As sabotagens misteriosas de petroleiros na costa dos Emirados Árabes e o ataque com um drone contra um oleoduto na Arábia Saudita elevaram apostas de uma guerra, revivendo o clima de crise do petróleo nos anos 1980. Nesta quinta-feira, o Irã acionou a ONU, acusando os EUA de agressão. Na última segunda, a Casa Branca anunciou o envio de mais 1.000 militares ao Oriente Médio. O Irã quer voltar a exportar petróleo e recuperar sua economia, já Trump quer a reeleição.
Diário do Nordeste

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.