Ceará

Casos confirmados de dengue aumentam 99,7% em Fortaleza

Até agosto deste ano, 2.398 registros foram anotados na Capital, enquanto em igual período de 2018, o número era de 815.
O volume de casos confirmados de dengue em Fortaleza atingiu a marca de 2.398 ocorrências, conforme aponta o boletim da Célula de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). Com isso, o volume contabilizado neste ano é 99,7% maior que o anotado em igual período do ano passado, quando houve 815 registros.
Bairros periféricos da Capital acumulam o maior quantitativo de registros. Com 157 casos, o Vicente Pinzon lidera o volume de incidência da doença, seguido de Canindezinho (95) e Jangurussu (89). Por outro lado, Itaoca, Salinas, Pici, Conjunto Ceará II e Parque Iracema tiveram o menor apurado, com apenas uma confirmação cada. Ainda de acordo com o balanço, apenas três bairros chegaram em agosto sem nenhum registro da enfermidade: Coaçu, Olavo Oliveira e São Bento.
Apesar do aumento do número de casos confirmados neste período, as mortes por dengue anotaram uma queda de 20%. Neste ano, quatro pessoas entre 20 e 79 anos morreram e outros três estão em investigação. Em 2018, cinco pessoas perderam a vida após complicações da doença.
Sintomas
De acordo com o Ministério da Saúde, os principais sintomas da dengue são febre acima de 38,5ºC, dores musculares intensas, mal estar, falta de apetite, dor de cabeça e manchas vermelhas no corpo.
A pasta federal informa ainda que a melhor forma de prevenção da doença, cuja transmissão acontece por meio do mosquito Aedes aegypti, é a eliminação de água armazenada, como em pneus, vasos de plantas e garrafas plásticas.

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Tecnologia do Blogger.